Page images
PDF

outro ano ou anos todo pudesse carregar sem lhe faltar nenhum ano; o que lhe assi daua em quanto a índia durasse pera herdamento do seu morgado. E mais lhe fez mercê de vinte mil cruzados em ouro, que os officiaes lhe leuárão a casa, e lhe fez mercê de dez quintaes de cada droga e pimenta pera partir com seus amigos, e todas suas leuasse pera casa sem pagar nada. E mandou apregoar que todos os viuos e herdeiros dos mortos fossem receber todo o que lhe era deuido até as naos entrarem em Lisboa; e aos mestres e pilotos, a cada hum meo quintal de cada droga somente de canella e maça, porque as naos leuárão pouca. E defendeo que nada vendessem, somente o gastassem, e partissem com seus amigos. Aos herdeiros dos mestres nom derão drogas, somente lhe derão em dinheiro a metade do que valião: o que todo foy feito como Dom Vasco ordenou. A Nicolao Coelho fez EIRey mercê de tres mil cruzados por mez de todo o tempo que andou na viagem, e hum quintal de todas as drogas, e seu fato forro, e capitania de huma nao pera a índia, em todalas armadas. em que quizesse hir, ou podesse dar ou vender. E aos herdeiros de Paulo da Gama deu ametade de todo o que dera a Dom Vasco, tirando a carregação do gengiure. O que todo a huns e outros forão feitas grossas mercês, porque a este tempo, valia em Lisboa o quintal de pimenta oitenta cruzados, o de canella cento e oitenta e do crauo duzentos, e do gengiure cento e vinte, e maça a trezentos e a noz a cento. Com as quaes mercês e pagamentos todos ficárão ricos e contentes.

EIRey com muytos contentamentos, dando a Nosso Senhor muytos louvores por lhe fazer tamanha mercê em começo de seu reinado, mandou logo polo Bispo da Guarda offerenda a Nossa Senhora d'Agoa de Lupe, que foy com Dom Vasco, a offerecer o colar que dera EIRey de Cananor, com alguns panos ricos, e hum saco cheo de cada droga, e hum pão de beijoym pera gasto da casa. E assi deu ao mosteiro de Belem grossa offerenda. E a outras casas santas e mosteiros de beatas, que todos dessem a Nosso Senhor muytos louvores pola tamanha mercê que fizera a Portugal; o que assi era muyto encomendado em todalas pregações e estações por todalas igrejas. E EIRey com a Rainha forão da Sé a sam Domingos em solene procissão, onde o Calcadilha pregou as muytas grandezas da índia, e o tão grande e milagroso descobrimento que Nosso Senhor dera, e o bom começo que ficaua feito perá todo o mais que a Nosso Senhor aprouvesse. Com que muyto incitou e inclinou os corações dos homens hirem lá ganhar honra e proueito que viâo nos que de lá vierao.

Então ordenou logo EIRey mandar á índia outra grande armada de fortes c grossas naos que muyto carregassem, que tornando a saluamento lhe trarião riqueza sem conto; todo praticado e ordenado com Dom Vasco, a- que deu patente que fossse Capitão mór em qualquer armada que partisse pera a índia, e que podesse tomar a Capitania sem embargo de ser dada a outra qualquer pessoa, e se mettesse n'armada inda que estiuesse já em Belem pera partir. E que da armada l *de que assi fosse* por Capitão mór, tiraria e poria os Capitães das naos como fosse sua vontade sem embargo de a6 terem por EIRey, dandolhe todo o poder pera fazer e desfazer d'armada todo o que quizesse, sem por isso EIRey lhes ficar obrigado a nada.

E lançando conta do dia que Dom Vasco partio de Lisboa até o dia que nella entrou, andou trinta e dous mezes na viagem, em que aprouve á misericordia de Nosso Senhor que foy pera tanto seu seruiço, como elle alto Deos seja muyto louvado, como hoje em dia parece, com tanto exalcamento de sua santa fé catholica, com tanto acrecentamento de tantas christandades per todas as partes da índia que lhe aprouve nos dar em nossos dias. O que tudo seja ao seu santo louvor pera sempre. Amen.

[ocr errors]
[merged small][ocr errors][merged small]

Oendo EIRey assi muyto contente e com muyto prazer, dando a Nosso Senhor muytos louvores por tamanha mercê como lhe tinha feita, em lhe dar começo e descobrimento da nauegação da índia, cousa tão grande pera a prosperidade e acrecentamento de seus Reynos com exalçamento da fé de Nosso Senhor Jesu Christo, com tão gloriosa memoria, sendo por elle tão grande cousa acrecentada ao Reyno de Portugal, assentou em seu coração conquistar e ganhar a seu senhorio a índia com grande armada cada ano, com muytas gentes á sua custa, que mandaria voluntariamente com soldos que lhe pagaria, e nisso tanto trabalharia até toda ganhar com paz, e per guerra, até toda sobmetter a seu senhorio, de que haueria tantas riquezas pera nobrecimento de seus Reynos e vassallos. E em todo prepoendo sua tenção no seruiço de Nosso Senhor, que esperaua fazerlhe no conuertimento dos gentios e infleis, que esperaua tornar á nossa santa fé; e hauendo sobre o caso muytos conselhos com os seus principaes do Reyno, onde Dom Vasco era presente muyto recontando as grandezas da índia, com que per todos foy muy aprouada a santa tenção d'ElRey, tendo já nas mãos tão bom começo, e tão aberta carreira de Tomo i. 19

nauegação, e pilotos da propria terra, aos quaes Dom Vasco tinha em sua casa, e os muyto honraua, e EIRey *daua com* auondança de todo o que querião, os quaes já muyto entendião nossa fala; nos quaes conselhos EIRey mostraua as cartas, escritas em folha d'ouro, do Rey de Melinde, e de Cauanor, das boas amizades e pazes, com tantos comprimentos e abastanças que nellas recontauão, praticando do muyto valor da pimenta e drogas que se comprauão a troco de mercadorias, em que resultaua tão grande proueito, e mórmente assentando as cousas em seus justos preços das vendas e compras, e se encurtarião os sobejos gastos de larguezas que nesta primeira viagem se fizerão: o que todo assi muy praticado e consultado, foy assentado no conselho, que logo se fizesse armada de grossas naos de boa carga. E porque a gente das naos de Dom Vasco da Gama nom fora com soldo limitado, sómente o que pareceo bem a EIRey lhe dar por seu trabalho, e as mercês que lhe fez, com que ficarão ricos e contentes, que causou muyto desejo a toda gente cobiçarem hirem ganhar este tamanho bem, foy ordenado que EIRey nom mandasse nestes feitos homens forçados, sómente os que quizessem hir voluntariamente, e com soldo limitado, e apregoado a quem o quizesse aceitar e tomar, pera seruir em todolos seruiços do mar e da terra, assi de paz, como de guerra, e em todo o que lhe fosse mandado; o que assi apregoado, e notificado, era grande descargo da obrigação que EIRey deuia aos que mandasse per obrigação. O que todo Dom Vasco assi ordenaua com EIRey, e depois o assentaua no conselho, em que foy assentado que a armada partisse em Março, que era o bom tempo pera partir, pera o que íorão ordenadas dez naos grossas de dozentos, tresentos tones e tres nauios pequenos, e todos fortes, muy aparelhados, e apercebidos em muyta auondança de todo o necessario pera o tempo de dous anos, de muytos mantimentos, e artelharia, e monições, e armas: o que todo era ordenado e limitado por Dom Vasco. Da qual armada EIRey fez Capitão mór Pedraluares Cabral, homem fidalgo, de bom saber, muyto auto pera isso, a que EIRey muyto folgou de lhe dar este encargo, porque elle se offereceo a EIRey pera nisso o seruir, per induzimento de Dom Vasco, que era seu grande amigo,l * que o a isso incitou ; * com o qual EIRey 2 * com Dom Vasco * muyto praticauão o que compria, e per seu

1 Oraittido no codice da Aj. * Idem.

[graphic]

conselho e ordem, e com o parecer de Jorge de Vasconcellos, Prouedor dos almazens do Reyno limitarão os soldos c ordenados que se dessem aos Capitães e mestres, e pilotos, e officiaes, e gente d'armas, e do mar: o que todo se escreueo per apontamentos muy ordenadamente, que se pôz nas portas do almazem e casa da Mina; porque todos vissem o que lhe dauão, e aceitassem se quisessem per seo aprazimento. E o que se assentou foy que o Capitão mór d'armada haueria por viagem dez mil cruzados, e quinhentos quintaes de pimenta comprados em seo ordenado dos dez mil cruzados ao preço que EIRey a comprasse, e dez caixas forras, de que não pagaria direitos * senão * a dizima a Deos pera o mosteiro de Nossa Senhora de Belem. E aos mestres e pilotos a quinhentos cruzados por viagem, e a trinta quintaes de pimenta, e quatro caixas forras; e aos Capitães das naos mil cruzados por cada cem tonees, e seis caixas forras, e cinquoenta quintaes de pimenta por viagem; l* e aos marinheiros a dez cruzados por mez, e dez quintaes de pimenta por viagem * e huma caixa forra; e a cada dous grometes como hum marinheiro; e cada tres pages, como hum gromete; e aos contramestres e goardião como hum marinheiro e meo; e aos homens officiaes, a saber: em cada nao dous calafates, dous carpinteiros, e dous estrinqueiros, hum despenseiro, hum barbeiro sangrador, dous Clerigos, a cada um destes a tres, como a dous marinheiros; e a gente d'armas a cinquo cruzados por mez e tres quintaes de pimenta por viagem. E em cada nao hum condestabre e dez bombardeiros: ao Condestabre duzentos cruzados e dez quintaes de pimenta por viagem, e duas caixas forras; e aos bombardeiros, como marinheiros; e a cada 2 * hum * homem d'armas sua caixa forra. E todos os quintaes de pimenta carregados de seos dinheiros com sómente o dizimo a Deos; e o pagamento desta pimenta lhe faria EIRey em dinheiro de contado polo preço que a elle vendesse, tirando quebras se as houvesse, porque a pimenta secaua na viagem, que se descontarião soldo á liura; e pagamentos d'antemão á gente do mar, hum ano d'antemão aos casados, e aos solteiros ametade; e assi a todolos officiaes das naos. E ao Capitão mór cinquo mil cruzados, e aos Capitães a mil cruzados cada hum, e aos homens d'armas a cada hum seis mezes, e nas caixas roupas brancas. Os quaes apontamentos vistos pola gente,

*

1 Falta no exemplar da Aj. *Aj.

« PreviousContinue »